26/04/2012

Bate-Papo: Be Yourself

2o6_large

Hoje, vim conversar um pouco com vocês sobre algo que já está super batido, que já vem sendo comentado faz muito tempo, mas que parece que ainda não surtiu tanto efeito quanto deveria: Amor próprio.

Quando mais nova (entre 10 e 12 anos), eu não gostava de como eu era. Me achava gorda, sem graça, feia, e tinha todos aqueles pensamentos negativos que você pode imaginar (ou ter). Tinha muitas amigas bonitas, simpáticas e com um estilo fofo que chamavam atenção, enquanto eu, era mais quietinha, não era tão arrumada e me sentia totalmente apagadinha. Mesmo sem a intenção de me magoar, algumas das minhas supostas amigas faziam comentários ruins sobre mim. Me chamavam de gordinha, me zoavam, me deixavam de lado... E eu, ao invés de fazer algo sobre isso, simplesmente deixava ou até mesmo, concordava com elas.
A situação só mudou, depois que eu briguei com uma das minhas melhores amigas. Briguei mesmo, no sentido "porrada". Dei duas joelhadas na testa dela (sim, ficou marca). Acredito que ela deve ter ficado espantada por eu ter reagido assim, pois logo depois disso, a briga parou, ela foi pra casa e cada uma seguiu seu lado. Nos dias que se passaram, o pessoal meio que ficou do lado dela. Não que me ignorassem ou algo assim, mas dava pra ver que preferiam estar com ela do que comigo, o que é normal, já que ela sempre foi mais querida. Mas aquilo foi ótimo. Parece que aquela briga foi o estopim para minha mudança. 
Foi mais ou menos nessa época (perto de fazer 13 anos) que pintei os cabelos de vermelho e parei de tentar ser mais arrumadinha e comecei a vestir o que eu gostava mesmo (que na época, eram roupas pretas, make pesado e etc), comecei a me aceitar como era e a perceber que eu não precisava ser igual aos outros pra parecer legal. Depois de um tempinho, tudo voltou ao normal, fiquei mais amiga ainda da guria com quem briguei e o pessoal parou de me zoar ou me por para escanteio, pois acho que inconscientemente, até eles perceberam que eu estava mudada.

Eu tive que levar uma sacudida pra aprender a me valorizar e gostar de mim, pois como não comentava com ninguém como me sentia, não tive ajuda alguma. Mas depois do ocorrido, fui, aos poucos, começando a me conhecer melhor e a perceber quem eu realmente era e do que eu realmente gostava. Obviamente, eu até hoje, continuo meio perdida, como qualquer outra pessoa, mas ao contrário de antes, sou super feliz com quem sou! E daí que sou baixinha? E daí que sou cheinha? E daí que gosto de animes ou prefira ficar em casa ao invés de sair? Eu me amo! Eu aprendi a me valorizar e a me respeitar, pois não importa o que achem de mim, desde que eu me goste. E assim como aprendi com O Diário da Princesa, "ninguém pode fazer você se sentir inferior sem o seu consentimento", então, enquanto eu não me deixar abalar, enquanto eu não sentir vergonha do meu ser, ninguém vai fazer eu me sentir mal comigo mesma! Então, não tenha vergonha de gostar do que você gosta, não tenha vergonha de ser como você é ou fazer o que você faz. Não finja gostar do que não gosta ou dizer conhecer o que não conhece para parecer legal. Cada um tem seu jeito e é isso que nos faz especiais, é essa diferença linda que nos tornam únicos.

Depois de contar um pedacinho da minha história e comentar sobre o quanto vocês são especiais, finalizo o post repetindo pra vocês uma das sentenças mais usadas, mas que menos recebem atenção: Sejam vocês mesmos!


xx Gabe

Ps: Eu sei que não escrevo bem, mas vocês receberam a mensagem né? haha
Postado por :: Gabe Valente

6 comentários:

na boa gabe, como assim tu não escreve bem? pirou néé..rs
olha, eu me identifiquei muito com o texto, parece até que você ta falando por mim...
eu passei por tudo isso, me sentir nessa inferioridade, nossa.. tudinho, só não fiz brigar fisicamente mesmo.. kk
mais cara, isso é uma coisa que todo mundo devia por em primeiro lugar, até porque antes de amarmos os outros temos que 'nos' amar primeiro... é um ótimo alerta seu texto!
isso de não se aceitar ou "não ser aceita", é muito doloroso, muito mesmo.. mas enfim

beijão querida
te cuida


erikarayanaheart.blogspot.com
bom eu tbm me sinti assim e as vezes me sinto assim tbm eu quero mesmo ser mais honesta cmg mesma e ser feliz e nada nem ninguem pode tirar isso de mim neh!
bom eu sei de tudo isso e gostei so jeito de que vc escreveu me senti alegre porque é como se você tivesse me descrevido agradeço a vc GABE!
Nyaaaa~ que lindo! *ww* Adorei, juro que adorei.
Eu me identifico bastante com o 1º parágrafo u_u Mas, sério, eu me amo, e eu não me importo que me zoem. Eu concordo quando me zoam - porque eu conheço os meus defeitos, e aceito-os -, mas não é necessário mostrar, né? Rs. Sabe, quando já se está "familiarizada" com o pessoal que te zoa, é mais fácil de dar um berro ou 'acertar com a mão aberta bem no meio da fuça dele(a)', hihi~

"Eu sei que não escrevo bem, mas[...]" Opa! Parou tudo! Que é isso de não escrever bem? Se você escreve mal, me ensina a escrever mal assim também? haha!
~chu ♥
thestarsthief.blogspot.com
Se valorizar é realmente muito importante, amor próprio como você disse. Muitas garotas ainda passam por isso e esse seu texto é um motivo para elas. Gostei e você escreve muito bem!
e mais uma coisinha:
Gabe, você é linda de todo jeito :)
Eu já fui assim, mas eu deixei de me prender aos padrões e agora me sinto bem comigo mesma. Todos nós somos diferentes, temos nossa própia personalidade, acho isso tão legal! Sempre vai ter um engraçadinho pra ficar criticando, o melhor é ignorar.
Aaaah muito obrigada meninas! Eu estou tentando escrever e me expressar melhor para conversar mais com vocês.
Fico feliz de saber que gostaram e que vocês já passaram por esse momento e estão bem agora, gostam de vocês mesmas! Mas se qualquer uma de vocês quiser conversar mais ou algo do tipo, pode me add e falar comigo no facebook viu? *-*

xx

Postar um comentário

Comente à vontade! E não esqueça de deixar o link do seu blog ou site, para eu visitar de volta! :D xx